Perrengues de viagens: NY & DISNEY, EUA

Para começo de conversa, quem conhece a gente, sabe que nosso amor por viagem é proporcional à falta de sorte na maioria delas. Pois, é. Quem nunca passou aquele perrengue, uma situação que você não estava esperando e claro, virou história para contar? O VIVA PELO MUNDO tem algumas delas e resolvemos dividir com vocês, afinal, essa parte as fotos não mostram! Por isso começamos hoje a série “PERRENGUE DE VIAGENS”.

Nossa primeira viagem grande juntos foi para Nova York e Disney em 2014. Antes de começarmos a namorar, já estávamos planejando essa viagem há tempos, que na verdade mudou um pouquinho seu itinerário, algumas vezes. Só podíamos ir no início do ano, portanto, ficamos final de Janeiro a início de Fevereiro sabendo que iríamos encarar o inverno americano, só não imaginávamos que seria tanto.

FURADA, FRIO E ABANDONADOS NA DISNEY 

Pois bem, destino definido, primeira parada: Disney. Chegamos lá um dia lindo, sol, usamos camiseta e short, aproveitamos para andar pela International Drive, no dia seguinte iríamos no Magic Kingdom, acontece que o tempo virou completamente, o sol lindo que estava no dia anterior, virou nuvens, chuva e muito vento frio. Mas ok, tomamos o café e tínhamos que ver os ingressos, no nosso hotel tinha uma agência de viagem que oferecia por um preço supostamente menor, com a condição de que teríamos que acompanhá-los em um condomínio para fazer um tour e depois compraríamos. Chegando no condomínio, a visita era para venda de apartamento no local e destinados a pessoas casadas, porém não tinham explicado nada disso para gente e quando descobriram que não nos encaixávamos no perfil nos levaram para o gerente que começou a nos fazer uma série de perguntas e insinuando que estávamos tentando burlar algum tipo de lei, o que foi super constrangedor, perdemos um tempão da manhã e não conseguimos comprar os ingressos mais baratos.

Passado isso, conseguimos explicar tudo e fomos para o parque. Passamos o dia com guarda chuva, o que não impediu de estar cheio! Mas o pior, foi a volta. Como fomos com esse tranfer na ida não sabíamos o horário e local exato para pegarmos o transfer oferecido pelo hotel, ou seja, nesta hora a chuva virou um dilúvio, fazia muito frio e estávamos totalmente perdidos, pois ninguém sabia nos informar. Ficamos algumas horas por lá até que conseguimos um transfer que estava levando outras pessoas e conseguimos a carona por U$ 20 até o hotel. Chegamos ensopados, com frio e super tarde, mas chegamos.

–> Importante: Vejam bem sobre as agências nos hotéis e o que elas vão oferecer, pelo visto isso é meio comum nos EUA e se você não quiser comprar um apartamento por lá, nem perde o tempo, deixa para comprar os ingressos no Parque ou pela Internet.

NOVA YORK: PRESOS NO METRÔ, INVERNO MAIS FRIO EM 15 ANOS E PERDIDOS EM NJ

NYC_Subway_R160A_9237_on_the_E

Superados os perrengues da Disney, fomos para Nova York onde ficamos hospedados na casa da tia do Victor, em New Jersey. Para chegarmos em NY tínhamos que pegar o Path (uma espécie de metrô). No primeiro dia, a tia do Victor foi conosco até o memorial do World Trade Center, depois ficamos por conta própria para desfrutar a Big Apple. Só que para quem já foi para lá sabe que a cidade assusta, é enorme e até você aprender a conhecê-la passa uns perrengues de leve.

Já sozinhos na cidade, nossa próxima parada era chegar ao Central Park, para isso precisávamos pegar o metrô, porém não sabíamos que existe duas entradas: uma para o sentido norte e outra para o sentido sul e obviamente, fomos para entrada com o sentido oposto ao nosso destino.

Quando chegamos na plataforma, pedimos informação a um funcionário, que nos explicou que estávamos do lado errado e que para não termos que sair e pagar novamente, deveríamos permanecer e pegar aquele metrô mesmo. Até aí, ok. O outro metrô chegou e quando fomos entrar, todos estavam saindo e avisando que não podíamos fazer aquilo, mas o funcionário interviu e disse que nós iríamos fazer. Ficamos ali meio que sem entender, mas acabamos pegando o metrô. Quando nos demos conta, estávamos com um bêbado e dois mendigos (o que é super comum lá). O metrô começou a andar e não parava em nenhuma plataforma, depois de um tempo parou em um túnel e ficou. Nessa hora, eu já estava em pânico querendo entender o que estava acontecendo, comecei a pensar em todos os filmes de terror que envolviam metrô e achei que aquele cara estava fazendo algo com a gente… O metrô chegou a andar depois de mais um tempo, parou em um plataforma, não abriu a porta e depois seguiu caminho. Passado uns 10 minutos, quando ele finalmente parou em uma estação e abriu as portas, descemos desesperados e tentando achar uma forma de voltar para o sentido correto, só depois descobrimos que ele voltou para estação de onde partimos e que estávamos no sentido correto para o Central Park, hahaha. Mas cara, foi tenso! até entendermos isso e com as companhias agradáveis, esses 10 minutos viraram a eternidade.

Na volta para casa, tínhamos combinado com a tia do Victor de nos buscar na estação do Path, para isso, tínhamos comprado um cartão telefônico que ligaríamos para ela, para avisar que tínhamos chegado, só não sabíamos que o cartão não funcionaria. Sem chip americano e o cartão telefônico sem sabermos como utilizá-lo, começamos a pedir ajuda, mas ninguém sabia mexer, chegamos a pedir o telefone emprestado para uma loja, porém nos negaram. Decidimos então tentar ir por conta própria. O Victor acabou lembrando do endereço e fomos pegar um táxi. Era um taxista árabe que não conhecia o endereço e ficou dando voltas e voltas no mesmo local e ignorava o que a gente falava, afinal, nós chegamos a reconhecer alguns locais, falamos para ele, mas ele simplesmente não atendia a gente. Depois de muito tempo rodando, ele conseguiu se achar e nos deixou em casa. Se contar ninguém acredita, mas aconteceu com a gente!

Central Park (14)

E por fim, FRIO. Pegamos o inverno mais rigoroso em 15 anos. Era muito frio, muita neve. Chegamos a ficar 3 dias em casa por conta de nevasca e a mesma não podia faltar na hora de embarcar: nosso voo foi cancelado e tivemos que voltar, sendo que o mesmo foi reagendado para 3 dias após a data que voltaríamos, nossa sorte é que tínhamos a hospedagem, mas o dinheiro já estava nas últimas.

E vocês já passaram perrengue durante a viagem? Conta para gente aqui nos comentários!

Nos próximos episódios da série falaremos dos perrengues na Argentina!

Até mais.

Victor & Vanessa.

Anúncios

15 comentários em “Perrengues de viagens: NY & DISNEY, EUA

  1. Nossa, minha cara passar esse tipo de aperto! Ja peguei ônibus no sentido errado em NJ, já peguei linha expressa no metro de NY, já perdi voo, já me perdi à pé e já quase peguei um falso motorista de Uber em NY, num frio terrivel, no meio da madruga! Hahahaha! Mas a gente aprende demais com esses perrengues e no fim das contas são boas histórias pra contar! De fato também já vi outros casos de gente que caiu nessa do ingresso mais barato… Eu sou muito desconfiada e às vezes acabo gastando a mais por isso, mas paciência! É muito difícil na hora de uma oferta tentadora estabelecer o limite entre uma boa promoção e uma enrascada!

    Curtir

    1. hahahaha Paula, já vi que não estamos sozinhos então, heim!
      Dá pra escrevermos um livro sobre perrengues né? =D Mas é verdade, são ótimos para deixarmos mais espertos.
      adorei suas histórias, volte sempre! ❤

      Curtir

  2. Também peguei um frio lascado em NY, tive problemas no metrô, fomos até Brooklyn e na volta a linha estava em manutenção! Af e o desespero de não conseguir voltar??? Muitos lugares tem wifi gratuito. Vale levar o celular e usar o WhatsApp. E GPS. Eu gosto mais desses perrengues do que o tudo azul! Dicas que valem muito! E preparados para os próximos. Beijins Claudia 💟

    Curtir

    1. Clau, é verdade em relação a internet. Em nova York depois do perrengue de não conseguir contato, acabamos comprando um chip, mas acredita que nunca fazemos isso? haha gostamos de viver perigosamente!
      Mas faz parte, tem que rolar uns perrengues, afinal são histórias para contar também, né?
      Muito obrigada pelo comentário, volte sempre! Beijinhos ❤

      Curtido por 1 pessoa

  3. Nossa, passar perrengue em viagem é muito tenso né 😦
    Eu só imagino a situação de vocês no hotel, no taxi e ainda com esse frio todo que tava! Caramba!
    Mas que bom que conseguiram curtir a viagem!!!! Adorei conhecer o blog! beijoss

    Curtir

  4. Caramba 😦 com inverno, tudo fica incrivelmente mais difícil. É bom que agora vocês já sabem desenrolar os perrengues hehehe!!!

    Curtir

  5. Pretendo dar uma fugida dessas nevascas por um bom tempo, quando fui a NYC a coisa estava tão feia que os vôos estavam todos atrasados, era quase impossível sair na rua, além de um monte de coisa cancelada. É super divertido às vezes, só que pode fazer com que você tenha que revisar completamente seus planos de viagem. Adorei a narrativa da viagem de vocês.

    Beijos.
    vidaemserie.com

    Curtir

    1. Oi Kamylla! Pois é, a experiência de ver neve estar no frio, é válida, mas quando passa um pouco dos limites e nos obriga a mudar mil coisas da uma certa ravinha, rsrs! Muito obrigada pelo comentário, ficamos felizes por você ter gostado.. volte sempre!! Beijinhos

      Curtido por 1 pessoa

      1. Né? Eu tive o azar de cair duas vezes em nevasca, no primeiro dia (da primeira vez) foi tudo bem divertido. Depois a coisa começou a desandar. Mas é uma boa experiência.

        Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s